Conhecer para proteger: entenda o manejo florestal

Todos podemos atuar para proteger as florestas do mundo. Basta conhecer a origem dos produtos que consumimos

Somos um país rico em diversidade florestal. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, aproximadamente 60% do território brasileiro é composto por florestas. Desse total, quase a totalidade é de florestas naturais. Somos a segunda maior nação florestal do mundo, atrás apenas da Rússia. Dos mais de 510 milhões de hectares de florestas nativas, mais de dois terços estão na Amazônia, complementados pelo Cerrado (14%), Caatinga (9%), Mata Atlântica (6%), Pantanal (2%) e Pampas (1%). É muita riqueza junta, não é?

Enquanto isso, vamos avançando na porcentagem de florestas plantadas, ou seja, aquelas que foram criadas para plantio com manejo sustentável. O Brasil possui mais de 7,84 milhões de hectares de florestas plantadas, principalmente com espécies dos gêneros Eucalyptus e Pinus, que representam 93% do total (dados da Ibá – Indústria Brasileira de Árvores). Isto corresponde a apenas 0,9% da área do país e 1,5% do total das florestas. Parece pouco, mas estas florestas têm um importante papel na conservação das áreas florestais nativas. Graças às novas tecnologias que são utilizadas para aumentar a produtividade, como o melhoramento genético e o desenvolvimento de plantas com melhor adaptação às condições locais, a madeira gerada sob esse regime de produção sustentável garante a produção de matéria-prima e, de quebra, permite que as áreas florestais e toda a biodiversidade presente em biomas ricos como a Amazônia e a Mata Atlântica sejam preservados. Há, adicionalmente, ações feitas com comunidades que habitam as regiões próximas a essas florestas plantadas, que geram renda e levam educação, permitindo que todos possam se desenvolver em conjunto com a natureza. Nossa indústria é responsável por esse avanço ambiental e social.

Mas como é que o consumidor pode ajudar a cuidar das nossas florestas? Por meio da escolha. Escolher conscientemente os produtos é a melhor forma de estimular a indústria sustentável e que enxerga-se como parte de uma engrenagem socialmente mais justa. E a informação de qualidade é a principal ferramenta da escolha.

Madeira do bem: manejo florestal responsável 

O manejo responsável de florestas plantadas já é uma realidade usada pela indústria de ponta em móveis, pisos e revestimentos. Continue a leitura e compreenda como isso é possível.

Você já parou para pensar como a indústria transforma troncos de árvores em insumos para a arquitetura de interiores? Utilizada há milhares de anos para inúmeras aplicações na construção civil, a madeira é um material altamente versátil e com inúmeros benefícios, além de ser um recurso renovável quando utilizado de forma consciente e seguindo um processo de cultivo e manejo responsável. Basicamente, o processo é composto por cinco etapas, desde o cultivo e plantio das mudas, passando pela colheita e processamento:

  1. Produção de mudas: tudo começa com a produção das mudas de eucalipto e pinus (espécies mais comuns usadas para estes fins) a serem reflorestadas;
  2. Plantio: quando desenvolvidas, as mudas são transportadas para o plantio, seguindo processos de manejo que visam à conservação dos recursos hídricos naturais e manutenção da biodiversidade, buscando aumentar a eficiência do processo. Esta etapa segue o chamado cultivo mínimo, em que novos plantios são feitos sobre os resíduos das florestas anteriores, e com baixo revolvimento de terra, protegendo o solo com restos orgânicos da própria floresta;
  3. A floresta plantada: o cuidado segue ao longo de todo o processo de crescimento das árvores, com monitoramento constante, a fim de protegê-las contra pragas e incêndios, estudar o fluxo de água e carbono, conservar as estradas na floresta e monitorar a fauna e a flora. O uso de drones permite captar imagens em alta resolução e avaliar de forma mais rápida e efetiva a qualidade das florestas;
  4. Colheita e transporte: realizada quando a árvore atinge a sua idade de corte, por volta dos seis anos após o plantio. Os galhos são extraídos e deixados na área para proteção do solo e as toras são cortadas em tamanhos padronizados. Toda matéria-prima é transportada até a fábrica para utilização nos processos fabris;
  5. Produção fabril: as toras são colocadas em um tambor, onde chocam-se umas às outras e soltam as cascas. Em seguida, a madeira é quebrada em pedaços menores, chamados de cavacos, e peneirada para a seleção do que será utilizado na produção. Cavacos selecionados são cozidos, desfibrados, recebem uma resina sintética e são secos com ar quente. A partir de então, estão prontos para serem transformados em pisos ou painéis. Cascas, pó e cavacos não selecionados para produção podem ser utilizados como biomassa para produção de energia.

 

Compreendeu como o processo funciona? Dá pra fazer escolhas mais conscientes levando conforto e bem-estar de forma mais sustentável. 

Dicas de produto: a Duratex possui todo seu processo produtivo certificado, respeitando o meio ambiente e as comunidades ao seu redor. A matéria-prima tem certificado FSC® (Forest Stewardship Council®) de manejo florestal e as unidades fabris possuem certificado de cadeia de custódia FSC®. Isso significa que os produtos são fabricados com madeira de florestas manejadas de forma ambientalmente adequada, socialmente benéfica e economicamente viável e também de outras fontes controladas. Saiba mais sobre o FSC no site br.fsc.org.

Agora você já sabe. Quando for reformar, leve em consideração na hora da compra os pisos laminados e painéis das marcas Duratex. Além da beleza, do design e do acabamento diferenciado em sua casa ou escritório, são produzidos de forma responsável do início ao fim. De fato, uma escolha que faz diferença.

Códigos de licença FSC: FSC-C006042 e FSC-C003088

Inscreva-se na nossa newsletter e receba atualizações de novos conteúdos!